Objetivo

Alquimia -Biojoias com Elementos Naturais do Cerrado – Sementes , flora e metais
Objeto do Projeto:                 Capacitar portadores de deficiências auditivas para trabalho de ourivesaria, biojoias e design. Tornar um espaço de 180m² de área construída situado na Vila Telebrasília, Rua 9 Lote 4, local que foi CEDIDO para a realização desse projeto, em uma Oficina/ Escola, centro de referência, produção e difusão de conhecimentos sobre as peculiaridades e necessidades especiais de educandos com essas deficiências, como também sobre as técnicas de ourivesaria, biojoias e design e tendências do mercado . Promover o fortalecimento da autoestima e desenvolver o espírito crítico de cada aprendiz, por meio de informações sobre cidadania, inclusão social e de direitos, qualidade de vida, meio ambiente e empreendedorismo;             Promover, por meio de eventos ou marketing social, as peças criadas e fabricadas pelos aprendizes, enfatizando seus talentos e a importância do projeto para a geração de renda, inclusão social e criatividade.  Incluir esses cidadãos no mercado do Distrito Federal, dentro da área de abrangência de Artesanato, Moda e Design  
Justificativa:                 No cotidiano das grandes cidades e também em comunidades distantes e de difícil acesso, por mais que haja a intervenção do poder público para a inclusão de pessoas carentes e portadores de deficiências no mercado de trabalho, constata-se que a segregação e preconceitos são elementos determinantes da marginalização e exclusão desses brasileiros (as) no processo de reconhecimento de cidadania.                Se por um lado o sistema de ensino no Brasil já garante aos portadores de deficiência e carentes sociais o direito ao conhecimento por meio da educação, mesmo que de forma precária por outro que está muito aquém de possibilitar acesso a uma formação profissional que forneça sua inserção no sistema produtivo.                De um universo de pessoas que já extrapola os 54 milhões, segundo a maioria das estatísticas, apenas 180 mil de deficientes e pouco menos da metade (26 milhões) dos considerados mais pobres estão empregados. Os empresários justificam que a causa dessa defasagem está no despreparo profissional destas pessoas.                 A existência de leis que obriguem as pessoas a contratarem um percentual de pessoas nestas condições não é suficiente se não houver mão de obra qualificada para preencher as vagas oferecidas.                  Em suma, há muitas vagas e faltam pessoas qualificadas. Estar preparado para o mercado de trabalho é condição determinante para que qualquer cidadão seja admitido na maioria dos cargos oferecidos, mesmo sendo numa empresa de pequeno porte e não é nada fácil conseguir acesso a cursos de formação profissional adaptado as limitações de cada deficiente, a localização próxima dos excluídos, a programas que atendam às suas necessidades além de instrutores gabaritados para ensiná-los.  O portador de deficiências e às pessoas oriundas do substrato mais humilde de nosso povo, não precisa somente de ações protecionistas, mas ao contrário, deseja uma oportunidade para sua realização profissional e inclusão social com autonomia.  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: